#BlogDoEscreva: A Redação para Enem, concursos e vestibulares - nem toda redação é igual


#paraCegover#paraTodosVerem: Fundo branco e ao centro um desenho infantil de um garoto,  feito com traços de linhas pretas. Ao redor linhas azuais, amarelas,verdes, vermelhas e lilás indicando certa confusão.

Uma das mais desafiadoras atividades inerentes à preparação para provas, concursos e vestibulares consiste exatamente em elaborar um bom texto na redação, de modo a conseguir assegurar uma nota e obter aprovação no curso de graduação da universidade ou no cargo público desejado pelo candidato. Muito embora a Língua Portuguesa seja utilizada por milhões de pessoas mundo afora, aparentemente nem todos os usuários do idioma originário da Península Ibérica - região da Europa onde fica Portugal e Espanha - conseguem formular uma ideia e traduzir textualmente um pensamento para defender um ponto de vista através da argumentação escrita. Nesse sentido, é preciso se preparar com antecedência para aprimorar o nível da escrita e elevar as chances de aprovação.


Mas como se preparar?


A mesma preparação comumente adotada para provas do Exame Nacional do Ensino Médio também se aplica ao universo dos concursos? Para responder a essa e outras perguntas é preciso levar em consideração as semelhanças, diferenças e particularidades de cada certame. Vejamos abaixo:


SEMELHANÇAS


· O tipo de texto cobrado. Em regra geral, tanto no ENEM quanto dos concursos públicos tradicionalmente o tipo de texto a ser cobrado do candidato na prova de redação é um texto de caráter-dissertativo argumentativo em vez de um texto narrativo ou descritivo, por exemplo. Significa dizer que se trata de um tipo de texto através do qual o candidato precisa defender um ponto de vista através de argumentação lógica e bem fundamentada.

· Objetivo- Testar a capacidade do candidato não apenas em relação à sua capacidade de desenvolvimento textual, mas também para avaliar a capacidade de realizar uma leitura crítica da realidade social e defender um ponto de vista com base em argumentos equilibrados, fundamentados e aceitáveis.

· O tema da redação- De modo geral, o tema solicitado está no centro de um debate de interesse público ou que pelo menos tenha potencial para ser debatido por diferentes pontos de vistas e posicionamentos.

Assim, em ambos os casos, combinar técnicas de escrita com o conhecimento crítico e apurado da realidade social (algo que os professores chamam de "repertório") é fundamental para escrever uma redação.


DIFERENÇAS


Nem só de semelhanças viverá o estudante que se prepara para ENEM, concursos ou vestibulares. Embora o tipo de texto seja predominantemente argumentativo, como vimos acima, existem algumas diferenças que precisam ser levadas em consideração a defender da preparação de cada candidato - seja ela ingressar na universidade pública ou obter a aprovação no concurso dos sonhos.

· A preparação- Existe uma clara diferença que não se aplica no mundo dos concursos: no Exame Nacional do Ensino Médio, o nível de comprometimento e dedicação do candidato para alcançar uma boa nota tende a oscilar de acordo com a pretensão do curso pretendido. Claro, o ideal é que o nível de exigência da redação pelo próprio candidato seja elevado em todos os cursos até mesmo para qualificar o nível dos candidatos que num futuro próximo frequentarão cursos de graduação de importantes universidades no país.


· O universo dos concursos e das universidades- No mundo dos concursos, as vagas de um cargo público que fornecem a tão sonhada estabilidade estão cada vez mais raras e disputadas diante dos baixos investimentos em serviço público ocorridos atualmente - sobretudo no cenário de pandemia. Essa sensação de escassez influencia muito o emocional do candidato, pois diferente do Enem ou vestibulares, não há garantia que haverá todo ano. Por isso, o nível da escrita realizada pelo candidato do concurso deve estar cada vez mais profissionalizada se ele realmente deseja obter a aprovação.


· O perfil examinador de cada banca: o CESPE costuma cobrar temas de atualidades na redação, por exemplo, e não necessariamente assuntos técnicos relacionados às carreiras disputadas. No CESPE, um concurso da área policial, por exemplo, não cobra apenas temas relacionados à segurança pública na redação, mas passeia por diferentes assuntos de atualidades. Portanto, é preciso acompanhar através de jornais, revistas e opinião de especialistas os assuntos que mais têm chance de cair. Nesse sentido, é fundamental examinar através da consulta a provas anteriores quais são os tipos de tema mais comumente abordados. Já outras bancas de concurso podem como tema da redação temas técnicos e assuntos sugeridos no Edital. Já o Enem e os vestibulares buscam temas de relevância social, cultural e científico.


· No Enem não existe uma "resposta certa" ou ponto de vista mais correto do que o outro. Normalmente podem ser abordados temas polêmicos, que dividem opiniões, e que podem ser debatidos através de pontos de vistas opostos. O candidato precisa apenas ter o cuidado de não imprimir opiniões baseadas em radicalismo, intolerância e preconceito. Ao passo que no mundo dos concursos públicos, a depender do caso, a parte de conteúdo pode ter o mesmo peso que a parte gramatical ou textual e ser considerada "incorreta", principalmente ser for um tema técnico.

Portanto, uma dica importante é: verifique junto ao seu professor, se o seu nível de escrita já está pelo menos igual ou mesmo superior à média de nota de corte do curso pretendido.


Texto produzido por: Wendel Vieira

Contato: wendelvieira90@gmail.com

@liga.discursiva

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square